Home / Cultura e Sociedade /

Adolfo Kaminsky: A história do falsificador que salvou milhares de vidas

Adolfo Kaminsky: A história do falsificador que salvou milhares de vidas

ProfileMate
    

Adolfo Kaminsky tornou-se o mais jovem falsificador ao serviço da Resistência francesa e colaborou com vários movimentos um pouco por todo o mundo, incluindo a oposição antissalazarista em Portugal.

Esteve a um passo de ser deportado para Auschwitz, foi recrutado pela Resistência francesa e salvou milhares de judeus através do seu trabalho como falsificador. Participou em diversas guerras e revoluções sem nunca ter disparado uma arma e sem comprometer os ideais de liberdade e de dignidade humana que sempre o guiaram.

Adolfo Kaminsky: O Falsificador é a história de um verdadeiro herói narrada pela escritora, guionista e atriz Sarah Kaminsky, a sua própria filha.

Quando um dia a filha lhe perguntou se estaria disponível para contar a sua história, Adolfo Kaminsky, judeu russo de nacionalidade argentina, aceitou com entusiasmo. Tinha 17 anos quando foi enviado para o campo de concentração de Drancy e escapou por pouco à deportação para Auschwitz, graças ao seu passaporte argentino.

Pouco depois, é recrutado pela UGIF (União dos Trabalhadores Israelitas de França), tornando-se o mais jovem falsificador ao serviço da Resistência.

Esta é a história desconhecida do homem que garantiu salvo-conduto a milhares de judeus na Segunda Guerra Mundial como falsificador, sacrificando a sua vida pessoal e a sua segurança para salvar o maior número de pessoas que pôde e recusando quaisquer pagamentos pelos seus serviços.

Após a guerra, regressou à clandestinidade e, nas décadas seguintes, colaborou com a resistência antifranquista, com resistentes gregos contra a ditadura dos coronéis, com antissalazaristas em Portugal, com a Frente Nacional de Libertação da Argélia, com objetores de consciência norte-americanos durante a Guerra do Vietname, com vários movimentos de esquerda na América do Sul e com diversos movimentos independentistas africanos (Guiné, Guiné-Bissau, Angola e África do Sul).

O livro conta com posfácio de Irene Hipólito dos Santos, filha de José Hipólito dos Santos, ex-dirigente cooperativista e ex-preso político, durante a sua atividade como oposicionista à ditadura portuguesa.

A obra documental tem conquistado leitores e crítica especializada. Por exemplo, o jornal Le Monde considera que “Kaminsky viveu, nas sombras, as horas mais luminosas da Resistência”, enquanto o jornal O Globo afirma: “Se adaptada para o cinema, a vida de Adolfo Kaminsky, de 86 anos, teria ingredientes de thriller de suspense, filme de guerra, tragédia histórica, drama intimista, comédia romântica e cenas de terror.”

Sinopse do livro Adolfo Kaminsky: O Falsificador

«O cálculo é simples. Numa hora, fabrico trinta documentos. Se dormir uma hora, morrerão trinta pessoas.»

Adolfo Kaminsky, judeu russo de nacionalidade argentina, tinha 17 anos quando foi despejado de casa, com a família, e enviado para o campo de concentração de Drancy. Os seus passaportes argentinos garantiriam à família Kaminsky a libertação deste campo, salvando-os, por uma questão de horas, da deportação para Auschwitz.

Já com a fuga de França marcada, Kaminsky é recrutado pela 6ª, o braço secreto do UGIF, onde se tornaria o mais jovem falsificador ao serviço da Resistência francesa e onde o seu trabalho garantiria salvo-conduto a milhares de judeus nos últimos anos da Segunda Guerra Mundial.

Após a tomada de Paris, Kaminsky é recrutado pelos serviços secretos franceses, que abandona aquando da Guerra da Indochina. Regressado à clandestinidade, nas décadas seguintes viria a colaborar com a resistência antifranquista, com resistentes gregos contra a ditadura dos coronéis, com antissalazaristas em Portugal, com a Frente Nacional de Libertação da Argélia, com objetores de consciência norte-americanos durante a Guerra do Vietname, com vários movimentos de esquerda na América do Sul e com diversos movimentos independentistas africanos (Guiné, Guiné-Bissau, Angola e África do Sul).

Kaminsky nunca aceitou dinheiro pelo seu trabalho de falsificador, recusando tornar-se um mercenário e comprometer os ideais maiores de liberdade e dignidade humana que o guiavam. Esta é a história de um verdadeiro herói.

CONFIRA O LIVRO ADOLFO KAMINSKY: O FALSIFICADOR NAS LIVRARIAS ONLINE

AMAZON INTERNACIONAL

AMAZON BRASIL

Quem é Sarah Kaminsky?

Sarah Kaminsky é uma escritora, guionista, comediante e atriz francesa, conhecida pelos seus papéis nos filmes Raid – Pelotão Chanfrado (2016), Gauguin (2017) e A Minha Família do Norte (2018).

Nascida na Argélia em 1979, de pai argentino com raízes russas e de mãe argelina tuaregue, Sarah Kaminsky descobriu desde cedo a paixão pelas artes. Começou a tocar violoncelo aos 4 anos e na adolescência encontrou as duas paixões entre as quais divide, ainda hoje, a sua vida profissional: a escrita e o teatro.

Dados técnicos do livro Adolfo Kaminsky: O Falsificador

Género: Literatura / Memórias e Testemunhos

Formato: 15 x 23,5cm

Nº de páginas: 216

Data de lançamento: 11 de setembro de 2020

PVP: 16,60 €

ISBN: 9789722540162

 

ARTIGOS RELACIONADOS

     
 

Partilhar este artigo

Deixar Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *