Home / Literatura de Ficção /

7 livros que conseguem abrir o apetite de qualquer leitor

apetite

7 livros que conseguem abrir o apetite de qualquer leitor

 

Um bom escritor é aquele que, recorrendo apenas a palavras, consegue suscitar em nós um retrato colorido de emoções, como se estivéssemos dentro da própria história e fossemos capazes de sentir os odores que pairam no ar, a temperatura do próprio espaço ou até mesmo o sabor delicioso da comida que nos é descrita.

Se está com fome, aviso-o desde já que este não é provavelmente o artigo mais indicado para si porque só iremos espicaçar essa sensação e nada faremos para a satisfazer. Ao longo dos próximos parágrafos vamos apresentar uma lista de livros que contam com descrições tão vívidas de alimentos que nos deixam com água na boca.

Sem mais delongas, passamos então a apresentar 7 livros que conseguem abrir o apetite de qualquer leitor. Desde já fazemos também o convite para que nos sugira, através da caixa de comentários, qualquer livro que nos tenha escapado!

7 livros que conseguem abrir o apetite de qualquer leitor

Harry Potter – J.K. Rowling

O prato mais desejado: Sapos de chocolate, Cerveja de Manteiga, Pastéis de Abóbora

Quem não tem vontade de se sentar numa das mesas do Salão Nobre de Hogwarts para se empanturrar com as iguarias que os elfos preparam nas cozinhas? As páginas da série de Harry Potter estão repletas de magia, e as descrições de comida deixam-nos facilmente a salivar por mais. Inspirada por livros como The Little White Horse, J. K. Rowling descreve-nos sensações desde os estranhos feijões de todos os sabores da Bertie Botts, às peculiares e fedorentas misturas servidas na festa do Dia dos Mortos até às iguarias deliciosas que podemos encontrar no Honeydukes. O mais fabuloso de tudo é que a autora nos consegue pôr a imaginar doces que nem sequer existem: como os sapos de chocolate, os bolos de caldeirão e os fizzing whizzbees.

Sunshine – Robin McKinley

O prato mais desejado: rolos de canela, chocolate amargo, morte de Marat

Todos os que leram o livro sabem que os rolos de canela da Sunshine não são apenas rolos de canela: são tão grandes quanto a cabeça de um humano e surgem na história quase com a mesma importância de uma personagem principal. Isto torna-se mais estranho ainda se considerarmos que se trata de uma história sobre vampiros. No que diz respeito ao restante cardápio do Charlie’s Coffeehouse temos doces como Zebras assassinas, pão de chá, chocolate amargo de morte e muitos muffins. Um livro difícil para quem está a fazer dieta.

As Crónicas de Gelo e Fogo – George R.R. Martin

Prato mais desejado: Bolos de limão, sopa cremosa de castanha, tarte de sangue Dothraki

O jogo de alimentos inspirados em a Guerra dos Tronos tornou-se tão popular que a série inspirou não um, mas dois livros de receitas: O Banquete de Gelo e Fogo e o The Unofficial Game of Thrones Cookbook O próprio George R. R Martin já se rendeu à confecção de alguns dos pratos que imaginou ao escrever os livros, mas que nunca teve a oportunidade de provar. Se é um fã da série, considere então ler os livros ou experimentar pelo menos as receitas apresentadas nos livros de receitas. Caso para dizer que, no caso de um Casamento Vermelho, deixaríamos a festa de barriga cheia… ou talvez não.

Redwall – Brian Jacques

Prato mais desejado: Castanhas cristalizadas, Torta Deeper’n’Ever, pétalas de rosa cristalizadas

 

Eis outra série que inspirou um livro de receitas: a comida de Redwall é frequentemente descrita como algo puro, comestível e completamente irrisório. Estes são pratos com nomes extremamente criativos e deliciosos que, pela simples menção do nome, nos abrem o apetite: sopa de legumes Hare’s Pawspring, crisp de cereja Churchmouse, Harvestberry Sunset Pudden. A doçura dos alimentos perdura até muito depois de termos lido o livro, continuando a alimentar a nossa imaginação.

O Senhor dos Anéis – J.R.R. Tolkien

Prato mais desejado: Lembas

J. R. R. Tokien criou toda uma realidade nos livros de O Senhor dos Anéis. Para além de nos explicar a criação do mundo, como os Deuses nasceram e como as raças surgiram, Tolkien também mergulhou no universo gastronómico. Lembas, o pão élfico que surge neste livro, é sem sombra de dúvidas algo a que daríamos muita utilidade nos dias de hoje. Terá sido esta a barrita original, capaz de dar energia após a primeira dentada? Mas não é tanto um alimento específico que nos abre o apetite neste livro, mas sim o amor dos Hobbits pela cozinha e pelas múltiplas refeições que constituem o seu dia

Crónicas de Nárnia: O leão, a bruxa e o guarda-roupa – C.S. Lewis

Prato mais desejado: Delícias turcas

A maior parte das crianças que leem As Crónicas de Nárnia não sabe o que são delícias turcas. E a verdade é que muitos leitores ficam algo desapontados quando descobrem o doce: esta é uma confecção estranha, e não para todos. O açúcar em pó, os sabores estranhos e variados (podemos encontrar recheios de rosa, ou amêndoa, ou chá earl grey), a textura tipo borracha… Ainda assim, trata-se de um doce com muito açúcar e o favorito do pobre Edmund que, num abrir e piscar de olhos, se submete às ordens da Feiticeira Branca assim que esta concede o seu desejo de comer estes doces.

The Wheel of Time Series – Robert Jordan

Prato mais desejado: Frango com mel, chá de doce, bolos de mel

Dada a dimensão desta saga, a lista de alimentos mencionados na série alcança provavelmente as centenas: uma deliciosa visão de bolos de especiarias, guisados ​​saudáveis ​​e muitos e deliciosos chás são descritos nos livros. Naturalmente, há alguns pratos menos deliciosos também – o mingau faz diversas aparências – mas as descrições saborosas compensam o que não é tão saboroso.

 

Partilhar este artigo

Deixar Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *