Home / Archives /

Escritores

Escritores / 98 posts encontrados

Jane Austen: os amores que escreveu e os que ficaram por viver

Apesar de ter escrito frequentemente sobre amor, com pitadas de sátira e crítica social, Jane Austen nunca casou… embora não lhe tenham faltado oportunidades para tal. Pela altura da sua morte, tal como aconteceu com a irmã Cassandra, continuava solteira, dedicando-se às histórias de amor que tinha passado para o papel. Conheça a biografia desta ilustre autora britânica.

Luís Vaz de Camões: o poeta que acreditou na glória lusitana

Ao falarmos de literatura portuguesa, temos obrigatoriamente de apontar um nome, aquele que é facilmente considerado o maior poeta português de todos os tempos: Luís Vaz de Camões. Mesmo não sendo a história clara quanto à vida deste homem de uma coisa há certeza: este foi o poeta que, inspirado por musas e grandes nomes da antiguidade, pegou na pena e compôs uma epopeia para o povo lusitano.

Leon Tolstoy: o homem sem jeito para nada, excepto para as letras

Corria o ano de 1828 quando nasce Leon Tolstoy, num local chamado Yasnaya Polyana. Não, este não é o nome de uma cidade ou vila provinciana russa, mas sim o nome da propriedade da família Tolstoy, em Tala. Sendo o mais novo de quatro rapazes, não se pode dizer que a infância do pequeno Leon tenha sido fácil. Dois anos após o seu nascimento, a mãe morreu. Apenas sete anos depois acontece a morte do pai, que deixa assim os filhos entregues à tutela de uma tia que vivia em Kazan.

Charles Dickens, Oliver Twist e o fim da inocência da infância

O nome de Charles Dickens é por demais conhecido entre todos os amantes de literatura. Afinal, quem não se recorda das histórias de "Oliver Twist" ou "Um Conto de Natal"? O britânico nasceu no ano de 1812, em Portsmouth, e era o segundo filho de uma família de oito irmãos. O pai era um funcionário naval que sonhava ser rico; a mãe queria ser professora e dirigir uma escola. Apesar de nunca terem conseguido cumprir os seus objetivos, até certo ponto, o casal foi feliz.

Dante Alighieri: o poeta exilado que é personagem na sua própria obra

A Idade Média continua a ser recordada pelos historiadores como um dos períodos mais obscuros da história da humanidade. Ainda assim, foi neste longo período da história que surgiu Dante Alighieri, um poeta italiano capaz de revolucionar a cultura da época e construir uma obra ainda hoje considerada como a mais importante da literatura medieval.

Tom Saywer e as (muitas) aventuras de Mark Twain

Chamava-se Samuel Langhorne Clemens, nasceu em 1835, na Florida, e costumava assinar como Mark Twain. A assinatura eternizou-se em obras que se transformaram em clássicos da litetatura norte-americana: falámos, por exemplo, de As Aventuras de Tom Sawyer e As Aventuras de Huckleberry Finn. Mas Clemens não foi só escritor: de capitão a jornalista, foi empreendedor e até inventor. Neste post, fazemos uma breve súmula dos episódios mais marcantes da sua vida.

William Shakespeare: a biografia do autor que talvez nem tenha existido

É inglês, julga-se que terá nascido por volta de 1564 e foi escritor, poeta e dramaturgo. Da obra de William Shakespeare restam agora 37 peças, 154 sonetos, 2 poemas narrativos e uma série de versos soltos. Considerado como um dos maiores vultos da cultura mundial, o autor de Macbeth, Hamlet e Romeu e Julieta tem obras traduzidas em todos os idiomas e as suas peças transformaram-se em grandes clássicos do teatro e do cinema.

Um livro-álbum sobre a viagem de Eça de Queirós ao Egipto

Em 2015 celebramos os 170 anos do nascimento de Eça de Queirós, um dos nomes mais notáveis do Realismo literário nacional. Em jeito de celebração, decidimos recordar neste post uma obra biográfica que lança um olhar interessante à vida do autor e nos mostra como foi a viagem que fez ao Egipto, ao lado do Conde de Resende.

8 autores que se esconderam atrás de pseudónimos

É impossível apontar um único motivo para explicar a decisão de um autor em assinar com um pseudónimo. Por vezes, é a mera vergonha de dar a conhecer a cara ao público, outras vezes é simplesmente um capricho ou, como acontece com Fernando Pessoa, uma forma de demarcar diferentes personalidades. Neste post, desvendamos os pseudónimos de alguns autores.