Home / Archives /

Reviews de Livros

Reviews de Livros / 36 posts encontrados

As Brumas de Avalon: cavaleiros, irmãs feiticeiras e espadas míticas

Hoje, dez anos depois de ter lido a saga As Brumas de Avalon, volto a revisitar o mundo de Camelot, a passar por entre o seu manto de neblina e a contar-vos a história do Rei Artur e da sua meia-irmã Morgaine. Pelo menos, segundo a perspetiva de Marion Zimmer Bradley.

A Rapariga Apanhada na Teia de Aranha: Lisbeth Salander está de volta

Sabia que não seria fácil calçar os sapatos de Stieg Larsson mas tenho de reconhecer que, de forma geral, David Lagercrantz conseguiu preencher a posição de forma razoável ao contar a história de Lisbeth Salander em A Rapariga Apanhada na Teia de Aranha. Eis a review daquilo que gostei e não gostei neste livro.

Samantha Shannon em Portugal: review a Estação dos Ossos

Alguns meses após a publicação do livro A Estação dos Ossos, decidi dar ouvidos a todo o falatório que estava a haver na Internet e comprei a minha cópia. Neste post, partilho convosco aquilo que achei deste livro e apresento-vos a britânica Samantha Shannon, que vai marcar presença na 2.ª edição do Comic Con Portugal.

Chico Buarque: será que vale a pena chorar sobre Leite Derramado?

"Chorar sobre leite derramado" é uma expressão muito comum que todos ouvimos, pelo menos, uma vez na vida. A frase é normalmente empregue quando se é confrontado com algo irremediável, quando nada resta a fazer ou não há solução. Porque é que não vale a pena chorar? Ora, porque "o que não tem remédio, remediado está" e, por isso, as lágrimas de nada servirão.

A Grande Guerra Pela Civilização de Robert Fisk

No livro A Grande Guerra Pela Civilização, o mais famoso repórter britânico no Médio Oriente explica com sabedoria as raízes dos acontecimentos das últimas décadas em relação ao conflito mundial que teve apenas mais um episódio em Paris. Infelizmente, as conclusões são péssimas: todos temos culpa no cartório desde há muitos longos anos.

Dentro da mente dos terroristas: O Palestiniano de Antonio Salas

Uma das perguntas que mais ouço quando se abordam os mais recentes atentados cometidos pelo Estado Islâmico é: “Como é que existem pessoas capazes de cometer estes actos terroristas sobre pessoas inocentes?”. Se queres saber a resposta, então tens de ler O Palestiniano de Antonio Salas. É um livro notável para a compreensão do momento actual da Humanidade e que vale cada palavra, vírgula, ponto final.

Nascidos Duas Vezes: a relação de um pai com o seu filho deficiente

Amargo, dramático, irónico e apaixonado: assim se caracteriza o romance de Giuseppe Pontiggia, intitulado Nascidos Duas Vezes, que conta na primeira pessoa a complexa relação de um pai com o seu filho deficiente. Uma viagem extraordinária, bela e verdadeira, que caminha através das nossas limitações e através do amor e da dor.

O Violino de Auschwitz: música de esperança no holocausto

O Violino de Auschwitz define-se como uma bela demonstração da dignidade humana em todas as circunstâncias. Um romance escrito por M. Àngels Anglada que retrata os horrores vividos por uma personagem chamada Daniel, em Auschwitz, que encontra num violino a esperança necessária para sobreviver. Com cerca de 100 páginas, este livro promete marcar quem o ler.

O Deus das Moscas: um relato de uma sociedade infantilizada

Estávamos no ano de 1954 quando, depois de inúmeras portas fechadas, o praticamente desconhecido William Golding conseguia publicar o seu primeiro romance. Após um relativo sucesso em Inglaterra, Deus das Moscas chegou aos Estados Unidos e aí rapidamente ascendeu à categoria de clássico da literatura. Mais tarde, deu origem a dois filmes e foi peça fundamental para que o escritor vencesse o Nobel de 1983.