Home / Escritores /

Dia do Livro assinala as Mortes de Shakespeare e Cervantes

Dia do Livro assinala as Mortes de Shakespeare e Cervantes

 

No dia 23 de abril as redes sociais e livrarias fazem-nos lembrar que se celebra o Dia do Livro. No entanto, é raro explicarem-nos o porquê desta ocasião. Claro que nós, como qualquer outro leitor, reconhecemos a importância de um dia que celebre o livro e a leitura. E não precisamos que nos digam porque o devemos celebrar!

Porém, este ano quisemos saber mais sobre esta data e saber ao detalhe porque se celebra no 23.º dia de abril.

Se olharmos para o passado, reparamos que existe uma tradição na Catalunha que poderá explicar a origem deste dia. Uma vez que é também nesta data que se celebra o dia de São Jorge, havia um costume antigo, nessa região, de se dar sempre uma rosa como presente a alguém que comprasse um livro. Este pequeno gesto bonito e até poético foi-se celebrando e ainda hoje se mantém vivo, apesar de não se saber como nasceu.

Oficialmente, foi a partir de 1926 que Espanha resolveu começar a comemorar o Dia do Livro. A escolha, mais do que ditada por costumes populares na Catalunha, foi impulsionada por outro motivo: assinalava a morte de Miguel de Cervantes, um dos romancistas espanhóis mais conhecido de todos os tempos, autor do livro D. Quixote de La Mancha. Curiosamente foi também no dia 23 de abril de 1616 que supostamente morreu William Shakespeare, famoso poeta e dramaturgo inglês.

O ano de 2016 marca, aliás, a passagem de 400 anos desde a morte de ambos os escritores. À luz deste facto, a UNESCO, em 1995, reconheceu assim o dia 23 de abril como Dia Internacional do Livro, por assinalar a morte de dois grandes escritores.

Dia do Livro: mas nem tudo é o que parece

Mesmo que Miguel de Cervantes e William Shakespeare tenham sido contemporâneos, a verdade é que viveram em circunstâncias muito diferentes. Basta olharmos para os países onde tinham nascido. Naquela altura, a Inglaterra de Shakespeare era atribulada por discussões sociais, religiosas e conspirações na corte da Rainha Elizabeth. O mesmo não acontecia em Espanha, onde se vivia uma época de opulência que mereceu ao século XVII o nome de O Século de Ouro.

Por um lado, temos Miguel Cervantes, um homem de origens humildes, que ficou perturbado com a guerra que viveu em África e que, entre amores e desamores, começou a escrever a história de um cavaleiro louco e errático que vê gigantes em vez de moinhos nas planícies espanholas. O romance, D. Quixote de La Mancha, tornou-o famoso mas não rico. As dívidas que tinha contraído fizeram com que morre, aos 69 anos, quase na miséria..

 

E do outro lado temos William Shakespeare, filho de um comerciante inglês de muitas posses, que cedo alcançou o sucesso com peças como Hamlet, Sonho de uma Noite de Verão e a bem conhecida Romeu e Julieta. O poeta inglês morreu com 57 anos, com uma carreira notável.

Se os dois escritores alguma vez se encontraram ou leram os trabalhos um do outro, isso provavelmente nunca saberemos. Os fãs destes gigantes da literatura têm, no entanto, expressado como teria sido este encontro através de livros e filmes baseados em imaginação e especulação.

À medida que fomos recolhendo informação para fazer este post percebemos que há algumas discussões no que diz respeito à escolha desta data. A questão é que, em 1616, Inglaterra ainda usava o calendário juliano, enquanto Espanha tinha já adotado o gregoriano, o mesmo que usamos hoje no Ocidente. O que é que isto significa? Bem, é muito simples: que afinal William Shakespeare não morreu no dia 23 de abril, mas sim no dia 3 de maio. Dez dias de diferença desde a morte de Miguel de Cervantes!

Bem nos parecia que era uma grande coincidência que dois dos autores mais importantes da literatura tivessem morrido exatamente no mesmo dia, no mesmo ano! Entretanto, alguns estudiosos ainda insistem com mais conjunturas, defendo que Cervantes afinal nem no dia 23 morreu mas sim na véspera.

Deixando de lado todas as incongruências da história, não há dúvida de que é este é um excelente dia para se comemorar e honrar o livro e a leitura.


 

Partilhar este artigo

Deixar Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *