Home / Beat Generation /

Jack Kerouac: a história do maior talento da Beat Generation

Jack Kerouac

Jack Kerouac: a história do maior talento da Beat Generation

 

Quebrou barreiras, abriu horizontes, contou segredos, retratou uma nova geração e marcou para sempre a história da literatura com a sua prosa espontânea. Jack Kerouac ainda hoje é reconhecido como o maior talento literário da Beat Generation, mas a influência do autor de On The Road é tão vasta e incisiva, que os seus efeitos permanecem actuais.

Jean-Louis Lebris de Kerouac nasceu em 1922 em Lowell, Massachusetts (EUA). Os pais eram naturais do Quebec, Canadá, sendo que o pai tinha a sua própria tipografia. A infância feliz foi marcada por um acontecimento trágico que viria a determinar a sua escrita: quando tinha 4 anos, o irmão mais velho faleceu. Como resultado, a família virou-se para o catolicismo.

Os primeiros anos foram passados no meio da leitura de histórias. Jack Kerouac era ávido na leitura de revistas de ficção, enquanto conciliava a paixão pelo desporto. Com jeito para o futebol e para o basquetebol, o jovem encarava as modalidades como o seu passaporte para o futuro. Ainda mais quando, com a chegada dos anos 30 e da Grande Depressão, a família se viu a braços com dificuldades financeiras. Por volta da mesma altura, o pai começou a jogar e a beber.

E foi, de facto, o desporto que o levou para o ensino superior. A uma determinada altura, candidatou-se a uma bolsa atribuída a futebolistas pela Universidade de Columbia. Com 17 anos de idade, fez as malas e mudou-se para a cidade de Nova Iorque. Aí descobriu o jazz e começou as primeiras incursões pela escrita. Pouco depois, começou a trabalhar como jornalista para a Horace Mann Record. As primeiras short stories viram a luz do dia pouco tempo depois.

Contudo, durante o primeiro ano na Universidade de Columbia, Jack Kerouac partiu uma perna. Durante a recuperação, o jovem passou muito tempo na biblioteca, já que não podia treinar. Quando regressou foi impedido de jogar pelo treinador, acabando por desistir da equipa e da universidade num ato impulsivo. Para se sustentar, agarrou várias profissões e acabou por trabalhar em cidades diferentes. Com a chegada da II Guerra Mundial, Jack Kerouac viu uma oportunidade e alistou-se nos Marines. Acabou por ser dispensado 10 dias depois. No relatório médico lê-se que tinha “fortes tendências esquizóides”!

Depois da experiência militar mal-sucedida, o jovem regressou a Nova Iorque, onde iniciou com Allen Ginsberg e William Burroughs as bases do movimento Beat Generation Decorriam, então os anos 40, altura em que Jack Kerouac escreveu o seu primeiro romance The Town and City, com um estilo bastante diferente dos seus livros seguintes. A obra, com uma elevada carga autobiográfica, foi publicada em 1950 e, apesar das críticas positivas, não foi suficiente para que o escritor se destacasse.

Jack Kerouac e o caminho para On the Road

kerouacO icónico livro auto-biográfico On The Road é o romance mais conhecido de Jack Kerouac, sendo considerado por muitos como uma verdadeira obra-prima sem precedentes. O livro introduziu uma nova forma de contar histórias e foi inspirado numa série de viagens pelos EUA, em conjunto com o seu grande amigo delinquente Neal Cassady. Embora seja um livro ancorado em episódios reais com pitadas de ficção, a Bíblia da Beat Generation conta as diversas viagens de dois jovens, Sal Paradise (Jack Kerouac) e Dean Moriarty (Neal Cassady), que embarcam em aventuras repletas de sexo, droga e música, em conjunto com pensamentos filosóficos e introspecções profundas. A lenda conta que o livro On The Road foi escrito em 3 semanas num único rolo de papel, que no final tinha 36 metros de comprimento!

Além do conteúdo também o estilo de escrito do livro era sinónimo de liberdade: sem grandes preocupações de pontuação e sem pensar muito na escolha das palavras, Jack Kerouac escrevia como pensava, criando desse modo um registo único e vibrante.

Numa obra onde a verdade e ficção se cruzam, surgiu o estilo “prosa espontânea”, inspirado pela improvisação típica do estilo be-bop da música jazz. On The Road foi lançado em 1957, seis anos depois da sua conclusão. O livro foi um sucesso imediato, muito graças a um review do The New York Times, onde se lia que a obra viria seguramente a ser o símbolo da Beat Generation. A previsão não podia estar mais certa.

Outras viagens e o fim dos dias

No período entre a conclusão e a publicação do seu grande sucesso, Jack Kerouac não parou de escrever nem de viajar. Com o poeta Gary Snyder, explorou o budismo numa viagem que deu origem a The Dharma Burns, primeiro livro publicado depois de On The Road. Seguiram-se vários outros romances, como The Subterraneous, Dr. Sax ou Big Sur. Nos últimos anos também escreveu poesia, chegando até a gravar albúns a declamar poemas e textos dos seus livros.

Apesar de se manter na ribalta durante muitos anos, a verdade é que Jack Kerouac nunca conseguiu um êxito que lançasse sombra sobre On The Road. O fim dos dias foi marcado pelo alcoolismo e pelo consumo de drogas. Ao longo da vida, o escritor casou 3 vezes e teve uma filha do segundo casamento. Faleceu em 1969, quando tinha apenas 47 anos de idade, vítima de uma hemorragia no abdómen.

Pode encontrar todas as obras de Jack Kerouac na Amazon ou na Fnac


 

Partilhar este artigo

Deixar Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *