Home / Notícias de Livros /

Literatura fantástica: embora sem tradição no País, autores nacionais apostam na produção de histórias com ares de brasilidade

Literatura fantástica: embora sem tradição no País, autores nacionais apostam na produção de histórias com ares de brasilidade

AmazonPrime
    

Laguna – SC 4/8/2020 – Sempre pensei em um dia construir uma ideia nesse gênero, fazer o leitor viajar nessa aventura, navegando com os personagens criados por mim

Casos de sucesso nos gêneros fantasia e mistério são cada vez mais comuns entre os autores brasileiros.

A literatura fantástica sempre teve um espaço no coração dos leitores. Mesmo que não seja o gênero com mais livros publicados ou sucesso de vendas, a verdade é que a fantasia tem seu público cativo. Apesar de alguns autores sempre terem lançado obras, estado presente no meio literário e serem clássicos, como Stephen King, J. R. R. Tolkien, C. S. Lewis e outros, foi principalmente depois da publicação de Harry Potter, de J. K. Rowling, em 1997, que a categoria voltou com força ao mercado editorial. E as aventuras do bruxinho com um raio marcado na testa abriram portas para inúmeras histórias ganharem o mundo.

Nesse gênero, tanto no cinema quanto na literatura, a ideia é que tenha eventos e elementos não existentes na nossa realidade e não reconhecidos pela ciência como reais. Exemplos são animais falantes, seres como fadas, elfos, vampiros, mortos andando entre os vivos, florestas mágicas e muito mais.

Literatura fantástica no Brasil

O mais comum é o leitor encontrar obras fantásticas de autores estrangeiros e que passam em outros países e mesmo em terras imaginadas. No Brasil, nos últimos anos, tem sido terreno fértil para autores do gênero. Muitos leitores provavelmente já ouviram falar de André Vianco, Eduardo Spohr, Raphael Fernandes, Carolina Munhõz, Raphael Dracoon e outros, alguns dos escritores brasileiros que fazem sucesso.

Infelizmente, o Brasil não tem tradição no fantástico, enquanto vários vizinhos latinos têm correntes fortíssimas no gênero, principalmente no realismo fantástico. Mas isso não impede que os autores brasileiros se empenhem em trazer a fantasia para os leitores.

Eduardo Sporh, cujo primeiro livro foi lançado em 2010 e tem uma saga chamada Filhos do Éden com centenas de milhares de exemplares vendidos, começou correndo atrás do seu lugar ao sol ao criar o próprio selo de literatura fantástica junto a amigos. O sucesso foi tão estrondoso que em breve grandes editoras passaram e lhe fazer propostas. Outro exemplo é o casal Carolina Munhóz e Raphael Draccon, que somados já venderam mais de 800 mil livros do gênero fantasia e assinaram juntos o roteiro de O Escolhido, série da Netflix. Nos últimos anos o que não faltam são casos bem-sucedidos.

Fantasia com brasilidade

Com uma cultura rica e dimensões continentais, muitos autores de fantasia apostam em usar nosso país como pano de fundo das suas histórias. Um deles é Maurício de Oliveira, que usou como cenário para a sua obra a cidade de Laguna Sul, de Santa Catarina, conhecida como a terra de Anita Garibaldi. “Aqui existem vários pontos turísticos que chamam a atenção. Mas, na minha opinião, a que mais intriga é a Pedra do Frade, pois desperta a curiosidade de todos sobre como ela foi parar ali, quase a beira dos costões do Gí, como é conhecida a localidade”, conta.

Desse modo, pelos enigmas que rodeiam o lugar, o autor teve a ideia de construir uma trama fantástica sobra a pedra e uma ilha chamada Ilhas dos Lobos, que se encontra um pouco afastada, a cerca de cinco quilômetros de distância, sem acesso ao público. “Essas duas obras da natureza sempre me deixaram perplexo e pensando que poderia criar uma boa história de ficção sobre o assunto. E, então meu sonho de muitos anos foi realizado”, conta. Maurício de Oliveira lançou em 2020 pela Saramago, selo da Editora Albatroz, o livro A Pedra e a Ilha – Mistérios Envolventes. A ideia é que a obra seja a primeira de uma trilogia.

O autor comenta que o gênero fantástico, principalmente de suspense e terror, o acompanha desde muito novo, por isso teve a inspiração para o livro. De tal modo, alguns dos seus autores preferidos são Stephen King, conhecido como Mestre do Terror, e Agatha Christie, a Rainha do Crime. “Sempre pensei em um dia construir uma ideia nesse gênero, fazer o leitor viajar nessa aventura, navegando com os personagens criados por mim”, salienta. Maurício ainda destaca que sabe a literatura fantástica, apesar de estar crescendo, ainda é um pouco tímida entre os brasileiros, “mas se eu atingir alguns leitores e os divertir com meu livro, já estou muito satisfeito”, finaliza.

Para adquirir A Pedra e a Ilha – Mistérios Envolventes e outros livros da Editora Albatroz, é só acessar esse link.

 

 

 

 

Website: https://loja.editoraalbatroz.com.br/a-pedra-e-a-ilha

 

ARTIGOS RELACIONADOS

     
 

Partilhar este artigo

Deixar Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *