Home / Clássicos da Literatura /

As melhores obras da literatura portuguesa dos últimos 100 anos

As melhores obras da literatura portuguesa dos últimos 100 anos

 

Como apontar o dedo a um livro e dizer que é um dos melhores dos últimos 100 anos? Com o mercado editorial a crescer de ano para ano, alimentado por obras produzidas por autores de renome e novos talentos, as livrarias ficam lotadas de livros e até a nossa estante lá em casa começa a deixar de ter espaço para arrumar tantos livros.

É assim, perante tantas histórias assinados por tão bons autores, que se torna cada vez mais difícil perceber quais foram os melhores livros a passar pelas nossas mãos… especialmente se tomarmos em consideração os últimos 100 anos!

De forma a tentar encontrar a resposta a este desafio, a revista Estante – que pertence ao grupo literário Fnac – convidou 5 personalidades da sociedade portuguesa e passou-lhes a elas o grande desafio: escolher as melhores ficções narrativas publicadas entre o dia 1 de janeiro de 1916 e o dia 1 de janeiro de 2014. A ideia era convidar pessoas dos mais variados quadrantes, mas que fossem ao mesmo tempo personalidades respeitadas e conhecedoras do mundo da literatura em Portugal.

O júri foi então constituído por Pedro Mexia (poeta, cronista e crítica literário), Clara Ferreira Alves (jornalista e comentadora), Carlos Reis (professor universitário), Manuel Alberto Valente (editor da Porto Editora) e Isabel Lucas (jornalista). Após alguma discussão o júri conseguiu então chegar à lista das 12 melhores obras da literatura portuguesa.

Confira a lista completa das melhoras obras da literatura portuguesa dos últimos 100 anos

A Casa Grande de Romarigães, de Aquilino Ribeiro

A Sibila, de Agustina Bessa-Luís

Finisterra, de Carlos de Oliveira

Húmus, de Raúl Brandão

Livro do Desassossego, de Fernando Pessoa

 

Mau Tempo no Canal, de Vitorino Nemésio

O Ano da Morte de Ricardo Reis, de José Saramago

O Delfim, de José Cardoso Pires

Os Cus de Judas, de António Lobo Antunes

Os Passos em Volta, de Herberto Helder

Para Sempre, de Vergílio Ferreira

Sinais de Fogo, de Jorge de Sena

Quantos dos livros da lista acima leram? Sentem que falta algum livro à lista? Queremos saber a vossa opinião através dos comentários.

 

Partilhar este artigo

Comments

  • Fernando Franca
    16 April, 2017

    Sinto falta de 2 livros:
    O Evangelho segundo Jesus Cristo – José Saramago
    O filho de mil homens – Valter Hugo Mãe.

  • Dioneia Kuze Rios
    11 November, 2017

    Senti falta de Eça de Queiros e de seu livro A Relíquia, que considero um de seus melhores livros, retratando pergeitamente seu estilo crítico e irônico.

    • André
      12 November, 2017

      O Eça de Queirós não era válido, de acordo com os pressupostos da eleição. Pertence ao século XIX.

Deixar Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *