Home / Escritores /

Que escritores geraram mais lucro no último ano?

Que escritores geraram mais lucro no último ano?

 

Como é costume, a Forbes anunciou recentemente a lista dos escritores que geraram maior receita durante o último ano e os resultados, como sempre, vêm confirmar as nossas expectativas. Ao todo, se somássemos o lucro gerado por todos os autores, conseguíamos alcançar um valor que ia rondar os 269 milhões de dólares norte-americanos: montante gerado unicamente durante um período de 12 meses, provando que afinal a escrita não está morta.

No entanto, como aponta a revista de negócios e economia, parte do sucesso literário de muitos dos autores a figurar na lista deve-se a adaptações televisivas e cinematográficas que impulsionaram, rapidamente, as vendas dos livros.

Foi isso mesmo que aconteceu com James Patterson, autor do livro Zoo, cuja obra foi recentemente adaptada para a CBS e que conta já com uma 2.ª temporada garantida. O autor, que escreve essencialmente novelas policiais, figura na lista de escritores com maiores vendas da Forbes pelo terceiro ano consecutivo. No total, terá rendido 95 milhões de dólares com as suas obras no último ano.

O ranking completo:

  1. James Patterson – 95 milhões de dólares
  2. Jeff Kinney – 19.5 milhões de dólares
  3. J. K. Rowling – 19 milhões de dólares
  4. John Grisham – 18 milhões de dólares
  5. Stephen King  – 15 milhões de dólares
  6. Danielle Steel – 15 milhões de dólares
  7. Nora Roberts – 15 milhões de dólares
  8. E.L. James – 14 milhões de dólares
  9. Veronica Roth – 10 milhões de dólares
  10. John Green – 10 milhões de dólares
  11. Paula Hawkins – 10 milhões de dólares
  12. George R. R. Martin – 9.5 milhões de dólares
  13. Rck Riordan – 9.5 milhões de dólares
  14. Dan Brown – 9.5 milhões de dólares

Em segundo lugar encontra-se Jeff Kinney, um autor que escreve não para graúdos, mas sim para miúdos. Os seus livros Diário de um Banana, originalmente pensados para adultos, continuam hoje a ser procurados por milhares de crianças em todo o mundo. O público infantil que contribui para o sucesso global do autor que, muito distante de Patterson, se posiciona em 2.º lugar com 19.5 milhões de dólares.

Em terceiro lugar, para surpresa de alguns, encontra-se então J. K. Rowling que, mesmo não sendo a escritora a gerar mais receitas há alguns anos, lançou este ano a peça de teatro Harry Potter and the Cursed Child em versão impressa, para além de continuar a ganhar lucro com todo o franchising associado, como os parques temáticos de Harry Potter nos Estados Unidos e no Japão e ainda a peça de teatro absolutamente esgotada, a decorrer em Londres até ao final de 2017.

Descontos!
 

No entanto, não é difícil perceber porque J. K. Rowling não se encontra mais acima na lista este ano. Para calcular este ranking, a Forbes tomou em consideração o lucro gerado pelas vendas de livros impressos, ebooks, audiobooks e ainda lucros gerados por adaptações (televisão e teatro). Ainda assim, os números dizem respeito apenas ai período de junho de 2015 a junho de 2016. Visto que Harry Potter and the Cursed Child só chegou às livrarias a 31 julho de 2016, na sua versão em inglês, os lucros gerados pelo livro só serão contabilizados para o ano.

Quem entrou no ranking, quem saiu e quem está quase de fora

A novidade no ranking de 2016 é Paula Hawkins, a autora do célebre A Rapariga no Comboio – popularmente conhecido como o livro mais vendido de 2015 – tendo ultrapassado o patamar das 11 milhões de cópias vendidas em todo o mundo. A adaptação cinematográfica, que estreou no cinema em Outubro, promete render lucros suficiente à autora para que volte a figurar no ranking do próximo ano.

Outros nomes que já faziam parte do ranking mantiveram posições semelhantes. É o caso, por exemplo, de E.L. James, a autora de As 50 Sombras de Grey, que não só gerou receitas com a venda da trilogia mas também com a adaptação cinematográfica. O seu lucro está avaliado para os 14 milhões de dólares americanos, um crescimento de 168% face aos lucros registados no ano anterior. O lançamento de Grey – o livro que reconta a história da trilogia pela perspetiva da personagem masculina – também contribuiu em muito para este resultado.

Da lista saíram oficialmente Gillian Flynn, a autora de Gone Girl e ainda Suzanne Collins, que deu vida e forma à trilogia The Hunger Games. E da lista, ainda que quase a sair dela, encontra-se George R. R. Martin que, caso não termine o tão aguardado The Winds of Winter até ao próximo ano, verá certamente o seu nome cair do ranking.

 

Partilhar este artigo

Deixar Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *