Home / Literatura e Internet /

Noruega quer digitalizar todos os seus livros até 2020

Noruega quer digitalizar todos os seus livros até 2020

 

A iniciativa foi anunciada em há já alguns anos e, desde então, têm sido encetados esforços para que, até 2020, a primeira parte dos livros de língua norueguesa sejam digitalizados e armazenados online na Biblioteca Nacional do país.

O objetivo da política de digitalização é fazer com que nenhuma obra seja perdida, algo que já aconteceu em casos anteriores. Em simultâneo, pretende-se democratizar o acesso à informação que passará a ficar disponível de forma gratuita e à distância de um clique.

A Noruega segue, desta forma, o exemplo da Finlândia e do Reino Unido que também já começaram a digitalizar obras que fazem parte da sua identidade cultural. Em Portugal, uma iniciativa semelhante foi levada a cabo pela Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra.

A tendência é cada vez mais evidente, sendo que podemos dizer quase com certeza que o futuro das bibliotecas passa pela digitalização e divulgação online. No caso da Biblioteca Nacional Norueguesa, o conteúdo fica disponível para todos aqueles que estiverem no país. O serviço funciona através de um sistema de identificação de IPs que permite saber se o utilizador está ou não na Noruega. Se estiver, toda a informação ficará disponível para consulta.

A Noruega possui uma lei que diz que todos os livros do país devem ter uma cópia na Biblioteca Nacional. Das obras consultáveis excluem-se aqueles que se encontram protegidos por direitos de autor.

Descontos!
 

Esta será uma primeira fase do processo de digitalização que deverá ficar concluída por volta de 2020. A totalidade das obras deverá demorar entre 20 a 30 anos serem transpostas para formato eletrónico. Até 2012, tinham sido digitalizados 350 mil jornais, 235 mil livros e 240 mil páginas de manuscrito. Do arquivo deverão fazer também parte conteúdos de outros meios de comunicação, como programas de rádio e televisão.

A estratégia de digitalização aplicada pela Noruega

Com a política de digitalização, a Noruega pretende atingir uma série de objetivos em simultâneo. O primeiro é fazer com obras antigas e de enorme valor cultural se mantenham consultáveis. Falamos, por exemplo, de manuscritos da Idade Média, alguns em estado avançado de deterioração graças à passagem do tempo.

A juntar a isto, é possível criar um arquivo gigantesco que pode ser facilmente consultado por qualquer um, via Internet. E é mesmo essa uma das metas do projeto: democratizar a cultura e torná-la acessível e gratuita a quem quer que seja, independentemente do local onde se encontre ou das capacidades financeiras que possui.

Outra das vantagens está na possibilidade de alargar a biblioteca através de parcerias com instituições ou até mesmo coleções privadas. Todas as digitalizações devem seguir um modelo standart, estabelecendo um padrão para futuras iniciativas semelhantes na Noruega.

 

Partilhar este artigo

Deixar Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *