Home / Banda Desenhada /

As aventuras do Tintim: o rapaz mais animado da BD

tintim

As aventuras do Tintim: o rapaz mais animado da BD

 

Na banda desenhada, o dia 10 de Janeiro fica marcado pelo nascimento de Tintim, personagem criada por Hergé no ano de 1929. O jovem repórter belga acompanhado de Milú inspirou o seu criador para cerca de duas dezenas de histórias, uma das mais célebres Explorando a Lua.

A personagem é bem conhecida de todos: veste um fato de golfe e ostenta um topete no alto da cabeça. A acompanhá-lo está sempre um Fox-terrier branco, o inteligente e guloso canídeo Milú, que o salva das diversas armadilhas que povoam as suas aventuras, a mais célebre de todas Explorando a Lua, que vendeu mais de cinco milhões de exemplares. As pistas estão dadas, quem será a misteriosa personagem?

Nem mais, nem menos do que o pequeno repórter belga Tintim, criado por Hergé no dia 10 de Janeiro de 1929. Tintim acaba por se tornar no sucessor das histórias de Tortor, um escuteiro chefe de patrulha, a quem o jovem repórter veio substituir na qualidade de “irmão” mais pequeno.

O que tem Tintim de tão especial?

Tintim distingue-se pela sua modéstia e as suas acções, pois nunca vira costas às forças do mal, estando sempre ao lado dos mais fracos e oprimidos. É sempre com engenho e inteligência que supera todas as situações, pois apesar de nunca partir à busca da aventura, esta surge-lhe acidentalmente na sua frente.

Há medida que as histórias foram sendo imaginadas por Hergé, outras personagens juntaram-se a Tintim. Surgem então o despistado, generoso e impulsivo Capitão Haddock, os pretensiosos e desajeitados polícias Dupond Dupont, o fiel amigo chinês Tchang, o maquiavélico Rastapopoulos, o astuto cientista Girassol, o mordomo Nestor, o chato Serafim Lampião e a cantora lírica Bianca Castafiore.

A modéstia associada à discrição é também uma das características mais vincadas do belga George Remi, nome que ficou para a história da banda desenhada como Hergé. Mesmo discreto, o seu trabalho ultrapassou fronteiras, tendo alcançado uma maior notoriedade internacional após a criação de Tintim.

tintim-interior

Mas do curriculum de Hergé fazem parte outras criações, como as aventuras de Jo, Zette e Jocko e Quike e Flupke, dois rapazes que vivem histórias urbanas durante os anos 30. O seu estilo tornou-se inconfundível e a sua paleta de cores vivas valeram-lhe o cognome de “Walt Disney Europeu”, tendo influenciado também a criação de outros super-heróis das histórias aos quadradinhos como o gaulês Astérix, Lucky Luke, Blake ou Mortimer.

Até ao final da sua vida, Hergé sempre se mostrou um homem modesto e discreto. Há quem diga mesmo que George Remi se escondia atrás de Hergé que, por sua vez, se escondia por detrás de Tintim.

Recentemente, as histórias de Tintim provaram não ter chegado ao fim, mesmo que não seja publicada nenhuma banda desenhada completa desde 1976. Em 2011, o mundo da Sétima Arte de viu chegar às salas de cinema um filme de animação realizado por Steven Spielberg e baseado em três das histórias mais populares da jovem personagem criada por Hérge. As Aventuras de Tintin: o Segredo do Licorne não só provou ser um êxito de bilheteiras como recebeu também inúmeros prémios.

Hergé criou cerca de duas dezenas de aventuras. Aqui ficam os seus títulos:

  • «Tintim na terra dos sovietes»
  • «Tintim no Congo»
  • «Tintim na América»
  • «Os charutos do Faraó»
  • «O lótus azul»
  • «A orelha quebrada»
  • «A ilha negra»
  • «O ceptro de Ottokar»
  • «O caranguejo das tenazes de ouro»
  • «A estrela misteriosa»
  • «O segredo do unicórnio»
  • «O tesouro de Rackham o terrível»
  • «As sete bolas de cristal»
  • «O templo do sol»
  • «No país do ouro negro»
  • «Destino Lua»
  • «Explorando a lua»
  • «O caso Girassol»
  • «Carvão no porão»
  • «Tintim no Tibete»
  • «As jóias de Castafiore»
  • «Vôo 714 para Sydney»
  • «Tintim e os Tímpanos»
  • «Tintim e o lago dos tubarões»
  • «Tintim e a Alph-Art» – publicado postumamente

Quantos destes livros leu e quais são os seus títulos favoritos? Queremos saber!

 

Partilhar este artigo

Deixar Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *