Home / Clássicos da Literatura /

Vladimir Nabokov: a sensibilidade por detrás da controvérsia

Vladimir Nabokov: a sensibilidade por detrás da controvérsia

 

É em St. Petersburgo, no dia 23 de Abril de 1899, que nasce Vladimir Nabokov. Numa época em que a Rússia se começava a transformar lentamente, Vladimir nasce no seio de uma família abastada, que encoraja os seus filhos a imaginar e pensar sem limitações. Com uma educação refinada, prestada por um tutor particular, o jovem Vladimir Nabokov aprende várias línguas (aprende a escrever em inglês antes de saber escrever russo!), matemática, puzzles e pratica ainda futebol e boxe.

Mesmo assim, o jovem russo é delicado e sensível: a sua paixão por borboletas é prova disso mesmo. Aos 11 anos, entra na escola e rapidamente estuda estes delicados insetos, tema que mereceu a sua curiosidade ao longo da vida e que fez dele um sério especialista na matéria ainda na juventude. O interesse pela escrita e artes literárias não chegou muito depois. Em 1914, com cerca de 15 anos, publicou o seu primeiro livro de poemas.

É então que, por esta altura, os ânimos aquecem na Rússia e a família Nabokov sofre um terrível abalo. Estamos em 1917 quando a Revolução Russa tem início e o regime autocrático do Czar Nicolau II é violentamente abolido. O pai de Vladimir Nabokov (que não muito antes tinha participado num movimento que propunha a democracia para a Rússia) vê as suas terras e fortuna confiscadas pelo regime comunista.

A família devastada foge então para Londres (Inglaterra) à procura de um recomeço. Esta foi uma altura de novas oportunidades. Em 1919, ao completar 20 anos, o jovem Vladimir Nabokov é aceite na Universidade de Cambridge e prossegue os seus estudos em literatura russa e francesa. Terminado o curso, parte para Berlim, onde a família permanecia após o violento assassinato do seu pai às mãos de um monarquista.

As borboletas de Nabokov…

Em 1925, Vladimir casa com Vera Slonim e juntos têm um filho, Dmitri, que viria mais tarde a tornar-se cantor lírico. Entretanto, o autor russo vai escrevendo e ganhando a vida dando aulas de boxe, ténis, línguas e, surpreendentemente, construindo palavras-cruzadas para jornais. Traduções, poemas e contos também fizeram parte desta fase da sua vida, vendendo-os a jornais, embora assinasse com o nome V. Sirin.

Em 1940, a família mudou-se para os EUA, onde Nabokov aceitou um cargo como professor de línguas na Universidade de Stanford. É aí que, entre 1941 e 1948, dá aulas e se torna a pouco e pouco num prestigiado especialista em literatura e… insetos, experiência que culminaria na descoberta de uma borboleta até então desconhecida!

 

…e a Lolita polémica

Apesar da escrita fazer parte do seu dia-a-dia, o sucesso alcançado com os seus livros e publicações nunca alcançaram o sucesso que veio posteriormente com Lolita. A célebre e infame história de um professor que se apaixona por uma aluna de 12 anos é descrita em Lolita, abordando de forma triste e satírica o tema da pedofilia, num verdadeiro clássico da literatura mundial. A polémica causa pela publicação foi tal que houve mesmo livrarias a banir a obra das suas estantes, facto que o tornou mais popular ainda.

 

Em 1962, quando o livro foi adaptado para o ecrã, Nabokov escreveu o argumento da película e graças a todo o lucro gerado até então pelo livro e pelo filme, o autor russo decidiu deixar o ensino e dedicar-se de corpo e alma à escrita. Em 1960, deixa em definitivo os EUA, instalando-se na Suíça, onde acabaria por morrer 17 anos mais tarde, com 78 anos.

Pode encontrar todas as obras de Vladimir Nabokov na Amazon ou na Fnac

 

Partilhar este artigo

Deixar Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *