Home / Bibliotecas /

Buenos Aires: uma cidade para os amantes de livros

Buenos Aires: uma cidade para os amantes de livros

Giveaway Beatmaker Bundle
    

Buenos Aires realmente mora no coração dos intelectuais com sua variedade de bibliotecas. A capital argentina destaca-se mundialmente no quesito cultural, inclusive em 2014, de acordo com o World Cities Culture Forum, foi apontada como a cidade que abriga mais bibliotecas per capita do que qualquer outra no mundo.

A título de esclarecimento, o termo “biblioteca”, segundo o estudo, inclui qualquer fornecedor de livros, grande ou pequeno. Portanto, faz referência também às livrarias da cidade.

A cultura literária está claramente florescendo na Argentina, e os portenhos estão buscando ativamente a intimidade com os seus livros, em todos os aspectos.

De fato, em Buenos Aires é possível unir o agradável hábito da leitura a um passeio turístico pela riqueza arquitetônica destes prédios e desfrutar das excelentes instalações das suas bibliotecas, que chegam a somar mais de 500 unidades dentro dos limites da cidade.

Os estabelecimentos podem ser encontrados, em grande maioria, nas culturalmente privilegiadas regiões Recoleta e Balvanera.

Estes centros culturais dispõem de uma vasta gama de géneros literários, com títulos para os leitores que buscam relaxar com um bom livro, para estudantes das mais variadas áreas, incluindo volumes universitários e académicos para estudantes de medicina, direito, filosofia, história, antropologia, entre outros, best sellers, livros de poesias, além de exemplares para emprestar.

Se você é um apreciador do universo da boa leitura ou precisa de informações raras, abaixo poderá conhecer algumas das mais incríveis bibliotecas de Buenos Aires.

 

Livraria El Ateneo Grand Splendid

Fonte da imagem: Pixabay

Eleita em 2019 como a “livraria mais bonita do mundo”, pela National Geographic, a El Ateneo ocupa um antigo teatro do elegante bairro da Recoleta, convertido em livraria desde o ano 2000. Seu acervo é um dos maiores da América Latina, com cerca de 90 mil títulos e 200 mil livros, além de 35 mil álbuns e 24 mil filmes.

A loja, que mantém o seu charme barroco, varandas originais e um afresco de anjos, está distribuída por três pisos e um subsolo, tendo as antigas varandas do teatro convertidas em espaços de leitura privados.

Esta jóia arquitetônica de Buenos Aires se tornou um grandioso templo para os amantes de livros. Segundo seu proprietário, a El Ateneo conta com aproximadamente 50 funcionários para atender quase 3 mil visitantes por dia e até 5 mil nos finais de semana.

No interior da famosa livraria a convivência dos frequentadores é silenciosa, mas o espaço é tão caloroso e acolhedor que o café instalado no palco, ao fundo, se enche de fregueses lendo e tomando cappuccinos.

Endereço: Santa Fe 1860 – Recoleta.

 

Librería de Ávila

A poucos metros da Praça de Mayo, a antiga botica que vendeu o primeiro livro em Buenos Aires, no século 18, e posteriormente se dedicou ao ramo livreiro com o nome de Librería del Colegio, deu lugar à sede atual da De Ávila.

competitive research tools  

Apinhada de livros e revistas, no local são encontrados exemplares novos, usados e principalmente edições raras e esgotadas. Chama a atenção no imenso acervo as seções dedicadas aos costumes argentinos e latino-americanos, como a história dos Pampas.

No subsolo, em meio a uma profusão de mesas e estantes lotadas de raridades, funciona um café literário.

Endereço: Adolfo Alsina 500 – Montserrat.

 

Biblioteca Nacional Del Maestros

Aberta ao público em 1884, a biblioteca Del Maestros é um dos tesouros arquitetônicos de Buenos Aires. A fachada luxuosa combina com seu interior chamativo, com acabamento de mogno sob os tetos altos, e estantes majestosas que impressionam pela sua altura.

Com a adição da Sala Americana – inaugurada em 1998 – a biblioteca ganhou uma belíssima sala de leitura acessível por uma escada em caracol, desde o salão principal.

Endereço: Pje. Pizzurno 953 – Recoleta.

 

Biblioteca Nacional Argentina

A mais antiga e abrangente da Argentina, a Biblioteca Nacional não reúne apenas a maior coleção de informações do País, mas também a mais influente na América Latina.

Fundada por Mariano Moreno, jornalista e político idealizador da Revolução de Mayo, há mais de 200 anos, a instituição foi transferida para Montserrat antes de encontrar sua atual residência na Recoleta.

A sede atual foi construída no local onde era o Palácio Unzué, residência oficial de Juan Peron e sua esposa, Eva ‘Evita’ Peron. Quando Perón foi exilado, o palácio foi demolido e a atual biblioteca foi construída no terreno.

Endereço: Agüero 2502 – Recoleta.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

     
 

Partilhar este artigo

Deixar Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *